sexta-feira, 19 de agosto de 2011

A Oração Pelo Progresso Espiritual

Filipenses 1:9-11


Introdução
Filipenses 1:9-11: “Faço esta oração: que o vosso amor aumente mais e mais em pleno conhecimento e toda percepção, para aprovardes as coisas excelentes e serdes sinceros e inculpáveis para o Dia de Cristo, cheios do fruto de justiça, o qual é mediante Jesus Cristo, para a glória e louvor de Deus.”

A revista americana Virginia Medical relata a história de uma senhora casada e seus três filhos. Depois da morte do marido, ela começa a se vestir como uma moça de 20 anos e a participar das festas de seus filhos. À medida que os filhos cresciam, ela se tornava “jovem”. Os psiquiatras chamam isso de “personalidade regressiva”. Ela regredia um ano a cada três ou quatro meses. Aos 61 anos, agia como uma garota de seis anos de idade. Quando foi internada, insistia em brincar com brinquedos e tagarelava como criança. Quando “chegou” aos três anos, derramava a comida, gritava e chamava “ma-ma”. Quando “alcançou” um ano de idade, ela bebia leite toda encolhida como um bebê. Finalmente, ela morreu.

A mesma coisa pode acontecer com os cristãos (1Co 3:1, Hb 5:12). No texto de hoje, vemos que os crentes da cidade de Filipos demonstraram crescer em sua vida espiritual, mas Paulo orou por mais progresso.

Orar por um amor que cresça 
Verso 9: “Faço esta oração: que o vosso amor aumente.” O grego possui três significados para a palavra amor: Eros (amor romântico), phileo (amor fraternal) e ágape (amor altruísta). As pessoas podem amar com o amor phileo e eros, mas ágape de Deus é completamente diferente. Paulo orou para que esse amor transbordasse não somente uma vez, mas continuamente (Rm 5:5). Esse é o tipo de amor que se preocupa com outros. Ele olha para as necessidades dos semelhantes e procura satisfazê-las sem esperar favores em troca. Esse amor é também caracterizado pelo conhecimento e discernimento. Atualmente, muitas pessoas se concentram no amor e se esquecem do discernimento. Através dessa perspectiva, o amor significa tolerância, aceitar as pessoas e seu jeito de ser, como a letra de uma música que diz: “Se amar você é errado, não quero estar certo.” Mas o amor deve ser baseado na verdade e se guiar tendo em vista o que é necessário.

Oração por discernimento
Verso 10: “Para aprovardes as coisas excelentes.” Paulo entende a luta que enfrentamos com nossas escolhas. Ele desejava que os membros avaliassem corretamente as coisas da vida. Muitas dessas coisas não têm valor, e a Bíblia nos relembra que, para encontrar o verdadeiro valor das coisas, precisamos avalia-las à luz da eternidade e aprovar aquelas que são excelentes. Existe um padrão que deve ser seguido, que não se encontra nas inúmeras filosofias mundanas, mas se adquire somente através do conhecimento da Palavra de Deus (Hb 4:12). O amor genuíno, quando precisa tomar uma decisão, pergunta:

- O que a Bíblia diz sobre esse tema? (Sl 119:9-11).
- Isso glorificará a Deus? (1Co 10:31).
- Isso me ajudará física e espiritualmente? (1Co 6:12).
- Isso trará algum problema? (Rm 14:21).
- Seria essa a decisão que Jesus tomaria, caso estivesse em meu lugar?

Orando por um caráter íntegro
Versos 10 e 11: “E serdes sinceros e inculpáveis para o Dia de Cristo, cheios do fruto de justiça.” Paulo orou para que seus amigos estivessem sem ofensa até o Dia de Cristo, cheios dos frutos de retidão. Essa é uma descrição encontrada no Antigo Testamento (Sl 1; Jr 17:8). Deus deseja que transbordemos de retidão em nossa vida. Esses frutos não são autogerados ou autoproduzidos; eles surgem por meio do poder de Cristo (Jo 15:5). Sua finalidade é “glorificar e louvar a Deus”. Esse era o objetivo de Paulo e também deve ser o nosso.

Mateus 5:16 diz: “Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos Céus.”

Conclusão
Hoje, a Palavra de Deus estabelece um padrão para cada um de nós em várias áreas. Visto que esses princípios estão no contexto da oração, isso nos lembra de que precisamos orar para que essas características se tornem realidade na vida dos outros.

Você já sentiu a necessidade de orar por alguém? Alguma vez já disse: “Senhor, abençoa, fulano ou sicrano”? Se já orou assim, você copiou o modelo da oração pelo progresso. Existe um benefício adicional quando oramos pelos outros: é que sabemos de antemão que Deus aprova essa oração!

Peça bênçãos para seus filhos, amigos, membros da sua igreja, e não se esqueça de orar também por si mesmo.

Que, em seus momentos de oração, você cresça em graça e conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo!

Revista do Ancião / Jul – Set 2008-Dept de Comunicações da UCB

Retirado de Temas Bíblicos

Nenhum comentário:

Postar um comentário