quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Modelo de apenas 10 anos em poses sensuais

Revista IstoÉ, Semana de 14.08.2011.

A modelo francesa Thylane Blondeau é a nova queridinha da moda. Loura, esguia e com hipnotizantes olhos azuis, ela estrela ensaios sensuais – leia-se, inclusive, fotos de topless – nas principais publicações de moda do mundo. Esse seria apenas mais um conto de fadas de uma top model se Thylane não tivesse apenas 10 anos. Filha de uma apresentadora de tevê e de um jogador de futebol, a garota nasceu sob os holofotes. Aos quatro anos, desfilou para Jean Paul Gaultier e, recentemente, foi a estrela de um encarte da Vogue francesa no qual aparece com maquiagem carregada. O ensaio dividiu opiniões e teria contribuído para a demissão da então diretora da publicação, a poderosa Carine Roitfeld.

Afinal, 10 anos não é cedo demais para fotos sensuais? Psicanalista do Hospital das Clínicas de São Paulo, Niraldo de Oliveira explica que atropelar a inocência típica da infância pode ser prejudicial, pois, dos 7 aos 12 anos de idade a sexualidade fica adormecida para que a criança possa se desenvolver intelectual e socialmente. “Isso significa que a menina cuja sexualidade é estimulada antes da hora pode chegar à vida adulta sem a maturidade necessária.”


Alguns entusiastas da moda alegam que a maldade está no olhar de quem vê, argumentando ser comum o topless de garotas francesas na praia. O problema, no entanto, estaria na sensualidade estampada nos olhares e nas poses. A consultora de moda Gloria Kalil pensa diferente. “Ninguém espera ver criancinhas só de vestidinhos balão”, escreveu ela no site “Chic”. “O esquisito é vê-las em atitudes de adultos insinuantes que despertam mal-estar.” Também consultora, Manu Carvalho acredita que o valor da moda está na possibilidade de romper preconceitos, mas que até na flexibilidade existe limites. “Prefiro ver crianças fantasiadas de princesas e super-heróis.”

Nota Realidade em Foco: Certamente esse é o tipo de tendência que provavelmente poderá trazer prejuízos a essas crianças no futuro. Alguns "liberais" vão dizer que nada há que temer, pois cada um depois decide o melhor para sua vida. Mas as decisões do futuro são construídas hoje. A Bíblia, aliás, também nesse aspecto educacional, tem alguns conselhos muito úteis e que deveriam ser seguidos por pais. Provérbios 22;6, por exemplo, registra que os pais devem ensinar o caminho em que a criança deve andar. O livro de Deuteronômio, capítulo 6 e versículo 7, também tem a mesma ênfase e usa uma palavra que hoje parece soar meio antiquada: inculcar.

Mas eu fico pensando em uma questão. Se a mídia em geral e os espertalhões da comunicação e do marketing, bem pagos para vender conceitos de vida, utilizam a técnica de inculcar, ou seja, colocar literalmente na mente das pessoas ideias de mundo, por que os pais e professores não podem fazê-lo também, especialmente aqueles que possuem temor a Deus e acreditam na Bíblia como regra de fé?

Como vemos na matéria acima, os pais dessas meninas se preocuparam em inculcar nelas o conceito de que a beleza é mais importante e está acima de qualquer preço. Aliás, hoje o preço disso é alto literalmente. Mas e a possibilidade de se ensinar o contrário: que valores morais e espirituais são mais importantes e garantem, ao menos, a consciência de que se pode pensar o que está ao redor de outra forma? Fica para nossa necessária reflexão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário