sábado, 11 de junho de 2011

A cada cinco minutos é assassinado um cristão

"Cento e cinco mil cristãos são assassinados anualmente devido às convicções religiosas, o que indica que em cada cinco minutos morre um cristão por causa da fé, alerta o perito em temas de liberdade religiosa Massimo Introvigne. O responsável, citado hoje pela Rádio Vaticano, falava na Conferência Internacional sobre o Diálogo Inter-religioso entre Cristãos, Judeus e Muçulmanos, realizada em Budapeste, na Hungria. (...)

"Se essas cifras não gritarem ao mundo, se não se detiver esta praga, se não se reconhecer que a perseguição dos cristãos é a primeira emergência mundial em matéria de violência e de discriminação religiosa, o diálogo entre religiões só produzirá congressos estupendos, mas nenhum resultado concreto", afirmou Massimo Introvigne.

O arcebispo de Budapeste, cardeal Peter Erdö, disse, também citado pela Rádio Vaticano, que muitas comunidades cristãs no Oriente Médio morrerão porque terão de fugir. "Que a Europa se prepare para uma nova onda imigratória, desta vez de cristãos que fogem da perseguição", advertiu.

Na Conferência, organizada pelo governo da Hungria, participaram outras autoridades religiosas e civis, como o diplomata egípcio Aly Mahmoud, que afirmou que no Egito estão a registar-se ataques muito graves contra as Igrejas Coptas.

No entanto, disse, serão promulgadas leis que proibirão os imãs muçulmanos de realizar discursos incitando ao ódio e às manifestações hostis junto aos templos das minorias, especialmente a cristã."

Fonte: Diário de Notícias (negritos meus para destaque)

Nota O Tempo Final: fica registado que o problema hoje para os cristãos perseguidos é, em grande medida, a intolerância por parte de alguns muçulmanos. Em breve se verá se isso se mantém, ou se os verdadeiros cristãos começam a ser perseguidos... por outros (ditos) cristãos
 
Retirado de  Diário da Profecia

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Arrependimento, Confissão e Perdão

"Quem esconde seu pecado não prospera, mas quem os confessa e os abandona encontra misericórdia." Prov. 28:13

Quando criança decidi que iria brincar na sala de casa. Uma bolinha na mão e uma imaginação fértil, não precisava de mais nada. Lá estava eu jogando a bolinha contra a parede e pulando para agarrá-la como um bom goleiro faz. Então minha mãe apareceu e eu o clássico toque de advertência.

-Filho, está vendo esses pratos de parede? Você pode acertar a bolinha neles e quebrá-los e, se isso acontecer, você vai ter uma conversa com seu pai quando ele voltar do trabalho.

Dito e feito, o "grande goleiro" que pegava todas as bolinhas ficou olhando o prato de parede cair e se quebrar no chão. Juntei os cacos, limpei o chão e corri para o quarto. Minha cabeça fervilhava, a barriga gelava, as pernas tremiam... Que desculpa iria dar? Cada minuto me fez refletir sobre a escolha que havia feito.

De repente ouvi um barulho no portão, era papai. Ao perceber que ele entrava em casa peguei uma cinta, compreendi que nao adiantava esconder o fato, precisava assumir as consequências da minha escolha. Saí ao seu encontro, mostrando a parede onde ficava o prato (ele nem sabia da tragédia, mas rapidamente entendeu), entregando-lhe a cinta disse aos prantos que merecia apanhar. Sua mão tocou-me o ombro, mirou os meus olhos e disse: "Filho, creio que tudo o que aconteceu serviu de lição, portanto, eu o perdoô!" Jamais vou esquecer esse perdão.