terça-feira, 5 de abril de 2011

A fidelidade como fruto da fé

“Pois é com o coração que se crê para justiça, e com a boca se faz confissão para a Salvação”. Romanos 10:10.

A fé é a mão com a qual recebemos o Salvador. No texto o apóstolo Paulo diz que não é suficiente crer com a mente, aceitar intelectualmente como uma verdade e estudá-la como parte de uma teologia. A fé é o braço que abraça a Cristo. Um relacionamento íntimo e pessoal que produz confiança que procede do amor.

“A fé que opera salvação, não é mero assentimento espiritual à verdade. Aquele que espera inteiro conhecimento antes de exercer fé, não pode receber bênção de Deus. Não basta crer no que se diz acerca de Cristo; devemos crer nEle. A única fé que nos beneficiará, é a que O abraça como Salvador pessoal; que se apropria de Seus méritos. Muitos têm a fé como uma opinião. A fé salvadora é um ajuste pelo qual aqueles que recebem a Cristo se unem a Deus em concerto. Fé genuína é vida. Uma fé viva significa acréscimo de vigor, segura confiança pela qual a alma se torna uma força vitoriosa” (DTN, 347).

No fim das contas, quando já não é mais conveniente, quando ser fiel já não é fácil, quando ficar ao lado da verdade traz prejuízo pessoal ou mesmo o perigo da própria vida, “o soberbo cairá; mas o justo viverá pela fé” (Hb. 2:4).

Henrique Morehouse, grande cristão e defensor do evangelho nos Estados Unidos e Inglaterra, tinha uma filha portadora de uma deficiência congênita que limitava seus movimentos. O pai constantemente dizia que a amava muito, e sempre estava aprendendo com ela lições de fé e confiança. Apesar de sua debilidade física, a menina procurava sempre ser útil em casa, ajudando como podia. Um dia o pregador chegou com muitos pacotes, a filhinha vai encontrá-lo à entrada, e diz: “Papai, posso ajudá-lo carregando os pacotes?” “Como você faria isso, filha?” – perguntou o pai. “Posso levá-los facilmente, papai”, diz ela, tomando a carga nos braços. “E agora, é só você me carregar no colo”, concluiu a garotinha com toda a tranqüilidade e confiança. (José Silvio Ferreira, Cristo nossa Salvação, p. 205).

Não seria este tipo de fidelidade simples e infantil, a verdadeira fidelidade fruto da fé? Não seria isto, o que Deus espera encontrar na vida de seus filhos?

Pr. Josias Fonseca Lopes
Associação Central Sul-Rio-Grandense - USB
 
Fonte A Missão

Nenhum comentário:

Postar um comentário