quinta-feira, 17 de março de 2011

Controlamos a comida ou é ela que está nos controlando?

"Coma o que você quiser, pois comer é um dos maiores prazeres do ser humano."
Escuto esta frase com certa freqüência, principalmente quando almoço com meus colegas de trabalho.

Não me irrito com as brincadeiras que fazem. Mas observo o quanto o ser humano consome os serviços e prazeres que o mundo oferece, muitas vezes sem necessidade, mas simplesmente por mera satisfação. Não há uma análise para verificar se realmente uma necessário. Simplesmente faça! Afinal, se você se sente bem ao realizar aquilo, não pense duas vezes, apenas faça!

Ser impulsivo tornou-se tão comum que ninguém sequer reconhece mais como um defeito. Pensar antes de falar, comer e agir é uma virtude que infelizmente tem sido deixada para trás de forma cada vez mais rápida. Estes são os efeitos do “pós modernismo”, que tem como base que toda verdade é relativa.


Vivendo desta forma, cada pessoa consome mais e mais os prazeres que este mundo oferece, sem analisar quais são os efeitos que tais atos estão trazendo sobre ela e sobre o mundo ao seu redor.
Tornam-se extremistas; na alimentação, causando obesidade; no trabalho, causando estresse; nos prazeres, causando vícios sem fim.
Extremos acabam causando cansaço e desânimo. Desânimo de pensar, agir, viver...

E então, partem para aparentes “soluções: regimes que prometem ser milagrosos, métodos de auto-ajuda, filosofias diferentes, todos os tipos possíveis de diversão... e talvez até consigam por um tempo se sentirem melhores, mas não conseguem a real cura pois falta-lhes buscar algo que não se encontra em farmácias, artigos ou revistas: caráter.

Como sair desta situação que parece não ter fim?
Convido-lhe a fazer uma pequena viagem ao passado. 100, 200, 300 anos atrás. Tempo sem forno microondas, televisão, computadores, máquina de lavar e tudo o que conhecemos como eletrônicos e eletrodomésticos.

Homens rurais iam trabalhar com simples ferramentas. Mulheres lavavam as roupas em rios.

Não tinham as ferramentas que temos hoje, mas tinham algo que não temos: tempo! Tempo para desenvolver o caráter correto.

Ellen White, autora inspirada por Deus, escreveu a muito tempo atrás (em relação ao regime alimentar): “deveis raciocinar da causa para o efeito”.
O que isto significa? Que não devemos ser impulsivos em nossas ações! Principalmente em relação àquilo que comemos. Faça uma experiência. Antes de comer, analise se o alimento realmente trará benefício ao seu corpo. E não tenha medo de buscar auxílio de nutricionistas e médicos, mas lembre-se sempre de buscar principalmente dAquele que nos ama e criou tudo, e que afirmou em Sua Palavra: “Não temas pois Eu estarei contigo.”. Ele quer que desenvolvamos nosso raciocínio e não sejamos impulsivos.

Afinal, controlamos a comida que estamos comendo ou ela é que está nos controlando? Depende totalmente de você! É sua saúde, sua escolha.

Por Tháles Oliveira - Mudança de Escolhas

Nenhum comentário:

Postar um comentário