quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Estão os Adventistas a perder o foco?

Eu sou Adventista do Sétimo Dia. Convicto e convencido. Isso quer dizer, antes de tudo mais, que acredito na breve volta de Jesus à Terra, e na guarda do Sábado do sétimo dia como dia de repouso bíblico, ordenado e santificado por Deus.

Adicionalmente, quer dizer também que me identifico e subscrevo a doutrina que esta igreja, desde a sua fundação, vem anunciando. Acima de tudo, creio que a sua existência cumpre um propósito específico determinado por Deus e profetizado na Sagrada Escritura, ao desempenhar esta igreja um papel fundamental na pregação da última e urgente mensagem de Deus a este mundo.

Na minha perspetiva, estes dados não fazem dos Adventistas do Sétimo Dia melhores nem piores do que todas as outras religiões. Simplesmente, faz-nos diferentes. E são essas diferenças que desde sempre me habituei a ver e viver.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

You Were There - Avalon (Legendado)

Avalon - Testify to love - Ao vivo - Legendado

A Roupa da Mulher Adventista – Administrando os Recursos Divinos

Vivemos em um mundo que investe fortemente na lógica do descartável. Nós, mulheres, somos muitas vezes mais afetadas por essa lógica consumista, principalmente no que diz respeito a roupas e sapatos. A indústria da moda produz novos modelos para cada uma das quatro estações, e a roupa usada no inverno passado já não serve para o deste ano, não é mais tendência!

Contudo, apesar de estarmos imersos nessa cultura, nós, enquanto mulheres adventistas precisamos assumir uma postura diferente, uma postura segundo a vontade de Deus! E qual é a vontade de Deus quanto ao nosso investimento financeiro no vestir?

“[…] mas, minhas irmãs, quando comprardes e fizerdes vossos vestidos e de vossos filhos, pensai no trabalho ainda por fazer na vinha do Senhor. É justo comprar fazenda boa, e confeccionar cuidadosamente o vestido. Isto é economia. Mas ricos enfeites não são necessários, e condescender quanto a isto é gastar para satisfação egoísta o dinheiro que devia ser empregado na causa do Senhor.” Mensagem aos Jovens, p. 313 e 314

Devemos ter sempre em mente que nada do que temos nos pertence. Tudo o que temos é de Deus. Ele nos institui mordomos de seus recursos, e nos dá a oportunidade de administrá-los para a obra que nos comissionou. Como temos administrado esses recursos?

“Simplicidade e singeleza devem assinalar as habitações e vestuário de todos os que crêem nas solenes verdades, para este tempo. Todos os meios desnecessariamente gastos em vestuário ou no adorno de nossa casa, são um desperdício do dinheiro do Senhor. É defraudar a causa de Deus para satisfazer ao orgulho. Testimonies, vol. 5, pág. 189.” Mensagem aos Jovens, p. 315

“O amor à exibição produz a extravagância, e em muitos jovens mata a aspiração para uma vida mais nobre. Em vez de procurar educação, cedo demais se empenham nalguma ocupação a fim de ganhar dinheiro para satisfazer à paixão do vestir. E por meio desta paixão muita jovem é seduzida à ruína. Educação, pág. 247.” Mensagem aos Jovens, p. 315

Vivemos no Tempo do Fim. Já podemos ouvir os passos de um Deus que se aproxima. Deus precisa de um povo que cumpra com a ordem do “Ide” de forma eficaz. “E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então, virá o fim” Mt. 24:14. “O Senhor ordenou a Seu povo sair do mundo e ser separado. Roupas resplandecentes e custosas não assentam nos que acreditam estarmos vivendo nos últimos dias da graça.” Mensagem aos Jovens p. 313

Karyne M. Lira Correia

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Cooperando com o Senhor

"Todos os que creram estavam juntos e tinham tudo em comum. Vendiam as suas propriedades e bens, distribuindo o produto entre todos, à medida que alguém tinha necessidade. Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e contando com a simpatia de todo o povo. Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos" (Atos 2:44-47).

Estes dias estive lendo um livro que sempre me chamou muito a atenção, aliás, foi um dos primeiros que adquiri quando me tornei Adventista do 7º Dia. Na época, o título usual era "Conselhos sobre Mordomia". Hoje ele é mais conhecido como "Administração Eficaz". Se ainda não o tem, você pode conseguir um exemplar com o pastor do seu distrito.

Este livro me fez ver o quanto eu sou privilegiado em poder cooperar com o Rei do Universo na salvação dos meus semelhantes. Não se trata de "dar dinheiro" para a Igreja, mas de compreender o quanto o plano de Deus é sábio, pois coloca nas mãos do PECADOR o "poder" de espalhar o Evangelho para outros PECADORES, e assim "reduzir a população do Inferno", como um amigo meu costuma dizer (rsrs).

Veja alguns dos textos que mais me impressionaram (lembrando que, como cremos, eles foram escritos sob a orientação do próprio Deus)...

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

BBB

Amigos, faz tempo que formei uma opinião sobre o BBB. Achava que era uma coisa estúpida, sem sentido, sem proveito. Defini, aqui mesmo nesta coluna, esses reality shows como “o supra-sumo da imbecilidade humana” afirmando que em tais programas “uma meia-dúzia de desocupados expõem sua intimidade, em tudo o que tem de pior, para serem assistidos por uma massa ignara não menos desocupada” (Fama e Sucesso, maio de 2007).

Os tempos mudam, a gente evolui, vive novas experiências, se recicla. Opiniões não podem ser definitivas. Elas precisam seguir seu curso. Hoje penso um pouco diferente. Fui injusto em minha análise. Cáustico. Intolerante.

Sim, porque comparado com o que temos hoje, a podridão de três anos atrás era comparável a programa infantil. E, como se não bastasse o zoológico humano Global, hoje existem outras opções, até mesmo na TV Record, cuja proprietária é uma igreja “evangélica”. Seus apresentadores estão ainda mais cabeças-ocas, seu público ainda mais entorpecido. Como é possível a um país se permitir que uma asneira fétida como essa entre nos lares das pessoas todos os dias? Como se explica que alguém abra sua casa para receber esta porcaria? Como não se proibir que alguém leve o dinheiro suado de tantos telespectadores incautos para sustentar esta máquina de iniqüidades?

sábado, 6 de fevereiro de 2010

O Significado da Santa Ceia

Autor: Prof. Gilson Medeiros 


A Santa Ceia é uma das cerimônias mais belas do cristianismo, e é neste momento singular onde cada crente em Cristo reafirma nEle sua certeza da vitória.

Nós, Adventistas, não cremos no que os católicos romanos chamam de "transubstanciação", crença dogmática na qual o pão e o vinho da eucaristia se transformam LITERALMENTE no corpo e no sangue de Cristo, respectivamente. No Nordeste do Brasil existem até algumas "lendas" que envolvem os "santos regionais" de que ocorreram ocasiões de pessoas que encheram a boca de sangue ao comungarem da "hóstia consagrada". Tudo crendice!

Cremos, sim, na "consubstanciação", que ensina que o pão (sem fermento) e o vinho (suco puro da uva, não fermentado) se transformam em SÍMBOLOS do corpo e do sangue de Jesus Cristo. Esta crença é muito mais harmonizada com o que as Escrituras ensinam sobre o assunto.

Por ocasião da Santa Ceia, nós temos o privilégio de participar dos "emblemas" sagrados que nos trazem à lembrança o sacrifício expiatório e plenamente eficaz que Jesus realizou na Cruz do Calvário em nosso lugar, pagando o preço pelos nossos vis pecados.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Sobre a motivação central da vida cristã


Imagine que eu subitamente tivesse um transtorno moral. Quem sabe algo como uma compulsão cleptomaníaca por gravatas, a la Henry Sobel. Pense que no momento exato de minha fuga da loja, enquanto escondendo sob o blazer gravatas com lindas estampas, você me visse. O que lhe ocorreria? “Aquele não é o pastor? Mas como pode um ministro estar roubando a loja de gravatas?”Parece natural associar a pessoa com sua função na hora de uma cobrança moral, porque temos idealizações sobre o tipo de pessoas que ocupam tais funções. Mas será que o pressuposto dessa idealização por parte da comunidade deveria ser interiorizado pelo próprio ministro?

Ou, de outro modo: será que líderes de igreja deveriam tratar bem suas esposas por serem líderes? Deveriam cuidar com sua linguagem, tendo em vista o exemplo que se espera deles? Em todos esses casos, estamos considerando a validade da motivação por trás de comportamentos considerados adequados.

Não sou pai. Porém, penso que quando tiver filhos, o melhor seria ensiná-los a agir pelo bem, não pelo fato de serem “filhos de pastor”, carregando todo o ônus das expectativas. Quero que meus filhos ajam corretamente por uma razão menos superficial – a saber, pelo fato de serem cristãos (e enquanto o quiserem ser, porque ninguém escolhe que o outro seja cristão; no máximo, pode, se quiser seguir o caminho verdadeiro, escolher ser cristão).

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Importância do Espírito de Profecia

Autor: Prof. Gilson Medeiros


Um pesquisador britânico acaba de lançar seu livro aqui no Brasil, no qual ele narra sua jornada em busca de desvendar o "mistério" da Arca da Aliança de Israel.

O professor de estudos judaicos da Universidade de Londres, Tudor Parfitt, afirma que a Arca foi levada para a África, onde passou a ser utilizada como um "tambor" para derrotar os inimigos do povo lemba, que se consideram descendentes de judeus que vieram da Palestina para a África (veja aqui).

Em defesa de sua "tese", o pesquisador se utiliza até da genética para tentar comprovar que os lembas são, de fato, descendentes de judeus.