quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Por que o culto na Igreja Adventista não deve ser semelhante aos cultos Neopentecostais


Na última sexta-feira (15), já nas primeiras horas do sábado, fui pagar uma promessa que havia feito ao um casal que, em busca de melhores condições para educar seus dois filhos, havia abandonado a cidade e sua influência degradante para fixar residência no interior do Maranhão. Eles venderam tudo quanto possuíam e investiram em um negócio em uma pequena cidade com apenas 6 mil habitantes. Eles haviam me comunicado que queriam realizar um culto em Ações de Graças ao Senhor antes da inauguração, e queriam que eu fosse o pregador, então confirmei a eles que iria.

Quando cheguei ao local do culto tudo já havia sido preparado, as cadeiras colocadas em ordem na rua, o som já estava funcionando. Os vizinhos estavam começando a chegar, alguns traziam suas cadeiras. Ao chegar com minha esposa e filho, nos assentamos e aguardamos ansiosamente o início do serviço de cânticos. Não demorou muito e a esposa anfitriã foi à frente dá as boas vindas e fazer uma breve oração. Logo depois um jovem iniciou o serviço de cânticos.

Os hinos cantados eram bem calmos e singelos, com uma mensagem maravilhosa, sem gritarias, sem bagunça, havia ordem e decência. Percebi que havia muitas visitas e que elas demonstravam surpresa com a forma do culto, pois havia calma e tranquilidade, em pleno contraste com os cultos que eram acostumados a assistir. Então resolvi perguntar antes de começar o sermão: quem está freqüentando a um culto da Igreja Adventista pela primeira vez? Para surpresa minha, a grande maioria levantou a mão. Perguntei a elas se haviam percebido que os nossos cultos eram diferentes das demais denominações evangélicas, e a resposta foi positiva. Fiz outra pergunta: Quantos desejam saber o motivo dos nossos cultos serem calmos e tranquilos? Todos levantaram as mãos. Então os convidei a abrir a Bíblia em I Reis 19:11-12.


“E ele lhe disse: Sai para fora, e põe-te neste monte, perante a face do Senhor. E eis que passava o Senhor, como também um grande e forte vento que fendia os montes e quebrava as penhas, diante da face do Senhor; porém o Senhor não estava no vento; e depois do vento um terremoto; também o Senhor não estava no terremoto; E depois do terremoto um fogo; porém, também, o Senhor não estava no fogo; e, depois do fogo, uma voz mansa e suave.”

Este texto foi a base para um pequeno estudo que realizei com eles antes do sermão. Mostrei a eles que Deus se manifesta através da calma e serenidade, e não através de gritarias, de demonstrações físicas ou de mero excitamento emocional. Deus não chega fazendo barulho como um forte vento, nem fazendo todos estremecerem como um terremoto, Ele se manifesta na calma e suavemente. Não fiz ataque aberto a nenhuma denominação e nem às suas formas de culto, apenas mostrei o porquê que nós adventistas realizamos um culto calmo e sereno, mas sem deixar de lado o poder do Espírito Santo. Mostrei apenas a verdade, sem me preocupar em mostrar os erros dos outros. Percorremos algumas outras passagens na Bíblia para comprovar a tese levantada, eles tiraram suas dúvidas e, de uma forma impressionante, não desgrudaram os olhos da Bíblia durante toda a pregação. Quando fiz o apelo após o sermão, várias pessoas ficaram em pé em sinal de aceitação. O casal que me convidou entrou em contato comigo e disse que toda a vizinhança que assistiu ao culto aceitou um estudo bíblico sobre o Apocalipse que terá início na igreja adventista daquela localidade, no próximo domingo (24). Peço a cada leitor que ore por essas pessoas.

Glória, Glória sejam dadas ao Senhor somente.

Esse fato me levou a questionar (mais uma vez) o porquê de tantos irmãos terem medo de falar a verdade. Por que realizar cultos em semelhança aos cultos evangélicos? Por que apelar para a emoção se a Palavra de Deus é a espada afiada capaz de penetrar até o coração da alma sincera? Por que queremos ser iguais ao mundo se os sinceros querem algo diferente para acreditar e entregar a vida? Não precisamos de excitamento emocional para convencer as pessoas que temos a verdade, não precisamos apelar para a conformidade com as igrejas evangélicas só por que elas estão crescendo e nós estamos com um crescimento muito inferior. A Bíblia nos manda a não conformar-nos com mundo, isso inclui o mundo evangélico, mas renovar-lo com o poder do Espírito Santo (Romanos 12:2). Por que, na verdade, nós somos os portadores do Evangelho Eterno, o Verdadeiro Evangelho (Apocalipse 14:6-7), se existe evangélicos neste mundo, nós somos esse povo. O evangelho pregado por muitos tem sido um falso evangelho, destituído do poder da verdade, apelando somente para o emocionalismo e demonstrações de curas e milagres, algo que o próprio Cristo nos disse que não serviria como prova alguma (Mateus 7:22-23). É a presença da Verdade que tem a aprovação de Deus e demonstra a guia do Espírito Santo (João 16:13). A Verdade, é ela que converte e abre os olhos dos cegos, conduzindo-os para a Luz.

“A Palavra de Deus tem de ser apresentada com clareza e poder, de modo que os que têm ouvidos para ouvir, ouçam a verdade. Assim será o evangelho da verdade presente posto no caminho daqueles que o não conhecem, e não poucos o receberão...” Testemunhos para a Igreja, vol. 9, pág. 122.

"Conjuro-te, pois diante de Deus e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na Sua vinda e no Seu reino, que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina. Porque virá tempo em que não sofrerão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas. Mas tu sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério." II Tim. 4:1-5.

“Em nossas reuniões realizadas nas cidades, e em nossas reuniões campais, não pedimos grandes demonstrações, mas pedimos que os homens que vão perante o público para apresentar a verdade tomem as coisas a sério e revelem que Deus com eles está.” Review and Herald, 23 de julho de 1908.

“O que queremos criar não é a empolgação, mas uma reflexão profunda e fervorosa, a fim de que as pessoas que escutam, façam uma obra sólida, verdadeira, correta, genuína, que seja tão duradoura quanto a eternidade. Não temos ânsia de êxtase, de sensacionalismo; quanto menos disso tivermos, tanto melhor. O raciocínio tranqüilo e fervoroso com base nas Escrituras é precioso e frutífero. Nisto consiste o segredo do êxito, na pregação de um Salvador vivo, pessoal, de maneira tão simples e ardorosa que, pela fé as pessoas se apossem do poder da Palavra da vida.” Carta 102, 1894.

No livro "Enganado pela Nova Era", publicado pela Casa Publicadora Brasileira, o autor, Will Barron, ex-discípulo do "Caminho Iluminado", um fragmento dessa religião, afirma que existe um plano para propagar os ensinos da Nova Era em todas as igrejas protestantes, para isso foram treinados homens e mulheres para se inflitrar nas igrejas evangélicas; ele afirma ter sido um desses discípulos. Para comprovar a sua declaração gostaria de apresentar alguns vídeos que mostram a semelhança entre os cultos Neopentecostais e os cultos da Nova Era. Esses vídeos fazem parte de uma série de outros vídeos que integram uma palestra que fiz no Congresso Jovem para as igrejas do Distrito de Miranda, Associação Maranhense, atendendo ao convite dos pastores Carlos Campitelli e Carlos Junior. Assista e tire suas dúvidas.









Ellen White profetizou que isso também aconteceria dentro da Igreja Adventista, e um fator comum em todos seria a música com danças e tambores (ME, II, p. 36-38). Se continuar da forma como estão indo os nossos cultos muito em breve veremos isso acontecer dentro de nossa igreja. Duvida? Continue assim e verás, a profecia não falha. Muitos de nossos cultos já estão bem semelhantes ao do vídeo abaixo, daí para os cultos mostrados acima é só uma questão de tempo, pouco tempo.



Alguns podem pensar que não estamos indo por esse caminho e que não tem problema nesse tipo de culto. Amigo, é justamente isso que Satanás quer que pensemos. Ele está nos enganando de uma forma tão sutil que muitos não conseguem ver esses erros. Se ele se manifestasse de forma atrevida de imediato, logo suspeitaríamos, então ele se disfarça e vem sorrateiramente. Duvida? Novamente te respondo: Espere e verás, a profecia não falha.

Que Deus tenha misericórdia de seus filhos e fortaleça-nos para lutarmos contra o erro.

(http://restaumaesperanca.blogspot.com/2010/01/por-que-o-culto-na-igreja-adventista.html

5 comentários:

  1. Nossa...Mto boom,explica tudo beem direitinho.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada por esta postagem, com certeza servirá de alerta para muitas pessoas, eu penso exatamente assim tb, mas infelizmente já há vários irmãos achando q falta "adoração".

    ResponderExcluir
  3. Nao deixem que a igreja Adventista vire este terrero .....essas igrejas evangelicas parece um forró ou um leilão...

    ResponderExcluir
  4. ₢om certeza o diabo esta agindo dessa forma ai acima, mas,DEUS está no comando ainda e existe ainda Noes pra levar a verdadeira mensagens,DEUS o abençoe

    ResponderExcluir