quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Teria Deus Criados os Tambores?

TERIA DEUS CRIADO OS TAMBORES?
Seria isto verdade ou apenas uma suposição?


Antes de continuar, gostaria de demonstrar o meu respeito aos que defende esta ideia, eles são servos de Deus e têm desempenhado um grande trabalho nesta igreja, que é o único instrumento de Deus nesta Terra. E afirmo: Não haverá outra! Os fiéis desta igreja se transformarão no povo remanescente que Cristo virá buscar. Portanto, não tenho como objetivo combatê-los, mas apenas fazer algumas considerações a respeito do assunto em questão.

Perguntas que surgem
Se Deus criou os tambores, por que eles não se encontram em nenhum dos versos que autorizam o uso de instrumentos musicais no Templo? Afinal, foi ele uma cópia do “verdadeiro Tabernáculo que o Senhor erigiu e não o homem”. O modelo do Templo é uma cópia do Santuário Celeste, onde são executados os louvores para adoração a Deus. Se Deus criou os tambores para Lúcifer dirigir o louvor no Santuário Celeste, por que não autorizou o uso em seu Templo Terrestre? Teria Deus mudado o sistema de adoração? Deus altera suas determinações a respeito de como devemos adorá-lo? (I Cr. 25:3, II Cr. 5:12, II Cr. 20:28, II Cr. 29:25, Êx. 25:8, Hb. 8:2, Ml. 3:6).

Alguns podem argumentar sobre a existência de címbalos no templo, mas címbalos não são tambores, apesar de serem instrumentos de percussão, existem várias diferenças entre eles, principalmente na maneira como os címbalos eram utilizados. Sugiro a leitura do artigo O Uso da Percussão na Adoração à Luz da Bíblia de Levi de Paula Tavares, para uma melhor compreensão do assunto.

Então de onde surgiu esta ideia?
Este ponto de vista surgiu a partir da leitura do verso encontrado em Ezequiel 28: 13, conforme a tradução Almeida Revista e Corrigida que diz:

“Estavas no Éden, jardim de Deus; toda a pedra preciosa era a tua cobertura, a sardónia, o topázio, o diamante, a turquesa, o onix, o jaspe, a safira, o carbúnculo, a esmeralda e o ouro: a obra dos teus tambores e dos teus pífaros estava em ti; no dia em que foste criado, foram preparados.” Ez. 28:13.

Quero analisar junto com você o texto do Comentário Bíblico Adventista sobre o verso.

Tamboriles.
Plural de tof, pelo geral um tamborzinho de mão (t. III, p. 32). Alguns pensam que tof se refere aqui ao lugar em onde era engarzada a gema.

Flautas.
Heb. néqeb, palavra escura que talvez significa "passagem subterrânea" ou "mina". Alguns pensam que esta palavra faz alusão à cavidade na qual se engarzaba a pedra. Se isto fosse assim, a passagem estaria falando da formosa montura na qual estavam engarzadas as pedras preciosas. A BJ traduz: "Em ouro estavam lavrados os aretes e pinjantes que levavas", mas admite que se trata de uma "tradução duvidosa". Por outro lado, se se fala aqui de instrumentos musicais, isto corresponde com Lucifer, quem foi diretor dos coros do céu (1 SP 28-29).

Você pode ler o Comentário Bíblico Adventista em português clicando aqui

O termo tof não está definido como tambores, o Comentário Bíblico Adventista coloca outra opção e não a desqualifica. Nós sabemos que em todas as línguas existem palavras com grafias iguais, mas com significados diferentes, chamadas de homônimos. Portanto, para não haver problemas de interpretação, deve se levar em consideração todo o contexto. Isto é coerência.

Quanto ao termo néqeb, ele não está definido como pífaros, pelo contrário, existem no mínimo três diferentes significados. 1. Passagem Subterrânea. 2. Cavidade onde de colocava a pedra. 3. Instrumento Musical.

Levando em conta a coerência no texto, seria bem mais aceitável a interpretação que tof e néqeb se referem a locais onde eram presas as pedras preciosas na vestimenta de Lúcifer, as quais todo o verso se refere.

Apesar do Comentário Bíblico Adventista não definir nada quanto ao assunto, mas apenas fazer algumas suposições, um dos comentários bíblico mais bem conceituado entre os eruditos, O Comentário Bíblico de Moody, considerado um dos maiores pregadores que já existiu, concorda com esta posição ao comentar Ezequiel 28: 13.

“De ouro se te fizeram os engastes e os ornamentos. O T.M. diz : e (de) ouro (era) o acabamento (me'lakâ) de seus tamborins (o contexto exige "engastes") e dos seus encaixes (penetrações, neqeb; provavelmente, "gravuras". Cons. Ac. e Ug.).”

Conclusão
Concluímos então que o livro de Ellen White citado no Comentário Bíblico Adventista ( 1 SP 28-29 – Spirit of Prophecy, vol. 1. Pág. 28-29), onde ela afirma ter sido Lúcifer diretor do coro celestial, foi uma revelação Divina, pois em nenhuma passagem da Bíblia isto é confirmado. O fato desta citação se encontrar ali é apenas para citar a fonte de onde foi tirada a ideia de ter sido Lúcifer diretor do coro celestial, mas não para comprovar a suposição levantada de que Deus teria criado os tambores para Lúcifer.

No mesmo livro Ellen White afirma que Lúcifer solicitou uma audiência com Cristo para pedir que fosse lhe concedido uma segunda chance. Assim como esta, muitas outras afirmações são feitas por ela em Spirit of Prophecy. Ela fez estas declarações por que tinha autoridade profética para isso. Ela tinha esta autoridade, mas nós não a possuímos.

É muito perigoso fazer qualquer declaração baseado em suposições. Portanto, o mais sensato é permanecer em silêncio diante de textos como este, logo por que não existe confirmação em nenhuma outra parte das Escrituras para corroborar essa ideia, fugindo, assim, da orientação bíblica em Ec. 7:27 e Is. 28:10.


Fonte:
Resta Uma Esperança
(http://restaumaesperanca.blogspot.com/2009/10/teria-deus-criado-os-tambores.html)

Nenhum comentário:

Postar um comentário