terça-feira, 21 de julho de 2009

Por uma vida com mais significado

Ultimamente ando preocupado com o mundo. Não que nunca houvesse me preocupado antes, mas agora estou com uma espécie de “gosto amargo na boca” em relação a tudo o que acontece ao meu redor.

Quando ligo a TV chego a ficar deprimido, só o caos, terror, doença, maldade, corrupção, desastres e uma inversão total e generalizada de valores em tudo que existe.

Detalhe: não é só nos programas da televisão que isso acontece. Como disse, é um gosto amargo por tudo o que acontece ao meu redor. Em meu trabalho, em minha faculdade, minha igreja (sim, na igreja também), em meu convívio com meus amigos, em minha família, nas conversas nos pontos de ônibus e no burburinho das ruas; tudo indica que algo vai mal.

Eu nasci e cresci em uma cidade que possui pouco mais que vinte e sete mil habitantes. Durante um tempo vivi em cidades maiores, uma com trezentos mil, outra com cento e cinqüenta mil e outra com cerca de trinta mil habitantes. Hoje moro em uma cidade com cinco mil habitantes; e percebo que o problema do qual estou falando está em todos os lugares.

Em grande parte da raça humana não existe mais a bondade pura e desinteressada. Como cristão que sou, eu tenho em mente que a Bíblia já advertia, desde muito tempo atrás, que chegaríamos a um momento que em “os tempos seriam difíceis” e que o “amor de muitos se esfriaria”; mas não posso me conformar com isso, a Palavra que seriam MUITOS, mas não TODOS.

Não dá para olhar para a situação em que se encontra o mundo e achar dá para ficar do jeito que está, não dá para ficar sentado esperando algo acontecer, não dá para ficar somente esperando. Como disse, como cristão que sou, tenho minhas atividades e iniciativas dentro das atividades da igreja as quais acredito que podem melhorar esse mundo, mas não dá para achar que só isso já está bom. Será que não dá para fazer mais? Será que não dá para agir um pouquinho mais? Não adianta ficar esperando pelos outros.

Mas o que fazer então? Bom, podemos ser mais ativos em nossas relações. Deixar de esperar pelos outros e agir por si mesmo; deixar de reclamar e começar a se mover em direção a ação; deixar de agir com egoísmo; deixar de procurar levar vantagem em tudo.

Podemos fazer coisas simples. Ao contrário do que a maioria pensa, atitudes simples podem sim causar grandes efeitos; afinal, a maioria que pensa assim, é geralmente a maioria que não age.

Quando comecei a perceber e agir com essa “visão de mundo” parti para a ação com algumas atitudes simples; que vou expor em formas de perguntas para todos pensarem:

Por que não doar todo mês um pouco de alimento para um entidade filantrópica ou que monte cestas básicas para os carentes? Por que não se comprometer a doar mensalmente um valor (ainda que pequeno) a uma entidade de assistência local? Por que não acessar um site (do Graac, por exemplo) e doar uma valor mensalmente (ainda que um valor mínimo) que pode até ser pago pelo cartão de crédito?

Por que não separar o lixo reciclavel e doar para cooperativas? Por que não trocar as lâmpadas por fluorescentes e apagá-las quando não estiver usando? Por que não economizar água nas lavagens de carros e calçadas usando um balde ou mangueiras com reguladores de esguicho? Por que não fechar a torneira quando for escovar os dentes? Por que não adotar uma caneca em seu trabalho, escola, igreja e demais lugares; e diminuir o uso de copos plásticos?

Por que não economizar nos gastos com impressão? Por que não diminuir o volume de nossos aparelhos de som, carros, celulares e outros aparelhos? Por que não desligar nossos celulares nas igrejas, trânsito, cinemas, teatros e afins? Por que não diminuir o volume de nossas vozes? Por que não doar meu livros velhos, ou aqueles que não leio mais para uma biblioteca?

Por que não agir com mais humildade, afinal ninguém é melhor do que ninguém (não importa o que pense, ninguém é melhor que ninguém)? Por que não agir com desinteresse em nossas relações? Por que não deixar de querer levar vantagem em tudo? Por que não falar mais a verdade e menos a mentira? Por que não deixar de julgar os outros? Por que não deixar de ser hipócrita; agindo, falando e pensando da mesma forma em todos os lugares?

Por que não adicionar novas atitudes em nossa vida pública, participando de campanhas em prol do comunidade? Por que não doar sangue? Por que não iniciar uma campanha em minha faculdade, trabalho ou comunidade de coleta de agasalhos, alimentos ou leite? Por que, quando for organizar uma palestra, curso ou algo assim, não incluir no ingresso ou inscrição, um quilo de alimento ou um litro de leite, para serem doados aos necessitados?

Por que não plantar árvores? Por que não deixar de jogar lixo na rua? Por que não deixar de jogar lixo pelas janelas de carros e ônibus? Por que não sorrir? Por que não ouvir? Por que não ser sincero e atencioso? Por que não ser justo? Por que não ser um bom chefe?

Por que não ser um bom empregado? Por que não deixar de tentar impor minha opinião? Por que não ser fiel no pagamento de minhas dívidas? Por que não gastar apenas dentro do que ganho? Por que, para o bem de todos, me submeter? Por que não?

Eu sei que parecem coisas pequenas... mas eu olho para mim mesmo e vejo que quando eu conseguir fazer tudo isso, eu serei uma pessoa melhor, as pessoas ao meu redor serão pessoas melhores e o mundo ao meu redor será um mundo melhor.

Imagine, se em cada canto desse vasto mundo, as pessoas agissem assim... estaríamos em mundo bem melhor... mas afinal.... por que não viver uma vida que seja mais significativa?

Afinal, não basta apenas existir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário