terça-feira, 28 de abril de 2009

Comportamento de Pastores Batistas

Uma pesquisa online realizada pela LifeWay Research procurou identificar as prioridades do ministério de 800 pastores batistas.

O tamanho da igreja é um fator importante ao identificar os ministérios mais importantes, de acordo com Scott McConnell, diretor associado da LifeWay Research. Pastores de igrejas com menos de 100 membros têm uma tendência maior de identificar evangelismo como um ministério importante (72%) do que aqueles que lideram igrejas com mais de 250 membros (60%). Pastores de igrejas de tamanho médio tendem a valorizar mais o ministério jovem (90%) do que os demais. Enquanto pastores de igrejas maiores, incluem a adoração como importante (46%).

Apesar de as igrejas menores terem mais dificuldades para encontrar líderes, três de cada quatro congregações tem um líder eficiente para o seu ministério principal. Curiosamente, os pastores que indicaram o evangelismo como uma prioridade, responderam que esse também é o ministério mais difícil para se encontrar um líder. Quase metade dos pastores disseram que evangelismo está entre os cinco ministérios mais importantes que não têm um bom líder à frente.

Portanto, eis a classificação geral dos ministérios mais importantes:

Evangelismo (24%)

Escola Bíblica/Pequenos Grupos (17%)

Adoração (13%)

Proclamação (10%)

Crianças e Jovens (9%)

Discipulado/Aconselhamento (7%)

Oração (5%).

A pesquisa também quis saber como os pastores se relacionam com os líderes desses ministérios importantes. De forma geral, 40% dos pastores indicaram que se reunem com o líder. Outros se reunem com o grupo todo que lidera o ministerio (22%), enquanto 21% se reunem regularmente com o grupo de líderes dos vários ministérios.

Complementando o post anterior, gostaria de apresentar os resultados de uma outra pesquisa recentemente conduzida também pela LifeWay Research.

O dado que mais chamou a atenção foi a resposta de 67% dos americanos: iriam visitar uma igreja, se um familiar fizesse um convite pessoal.

Um convite pessoal de um amigo ou vizinho seria eficaz para 63% dos entrevistados. A mesma porcentagem estaria disposta a receber informações sobre uma igreja local vinda de um familiar.
"A lição primária que americanos deveriam aprender com essa pesquisa é que muitos dos amigos estão prontos para um convite", disse Ed Stetzer, diretor da LifeWay Research. "Vizinhos ainda precisam de um convite simples e pessoal para conversar, interagir e ir à igreja. Claramente, relacionamentos são importantes e funcionam juntamente com marketing."

Essa foi a maior pesquisa já realizada sobre a receptividade dos americanos a métodos diferentes de convites. Dos 13 métodos testados, esse foi o único com resposta positiva por parte da maioria. Visitas de porta em porta recebeu a menor aprovação (24%).

Em termos de passos posteriores no contato com os familiares e amigos, o único cenário com resposta positiva é receber um cartão postal da igreja informando os próximos assuntos abordados nos cultos (52%). O pior seria uma ligação.

Responder a uma oferta de maior informação através de um número 0800 apela a 20%, mas somente 1% assistiria a um culto pela televisão ou visitaria o website de uma igreja local.
Anúncios teriam uma boa resposta também: em jornais (46%), no rádio (41%), na televisão (40%), em outdoors (46%) e mala-direta (45%).

A pesquisa dá um bom perfil da receptividade dos americanos e uma boa idéia para ser aplicada aqui na realidade brasileira.

Mais detalhes sobre os resultados, no site http://www.lifewayresearch.com/.

Fonte: Crescimento da Igreja
(http://mecdias.blogspot.com/2009/04/evangelismo-e-prioridade-dos-pastores.html e http://mecdias.blogspot.com/2009/04/e-so-convidar.html)

Nenhum comentário:

Postar um comentário